UX: 4 tendências para ficar de olho nos próximos anos

Já sabemos que a internet já faz parte da vida da grande maioria das pessoas – e nesse sentido precisamos definitivamente ficar atentos a um tema fundamental: as tendências de UX ou, traduzindo, as tendências para melhorar a experiência do usuário.

Se você quer se atualizar, melhorar o seu negócio e atrair mais clientes, nós separamos a seguir 5 dessas tendências que já estão começando a fazer parte do dia a dia das empresas.

Mas antes… O que é UX?

Do inglês User Experience, UX nada mais é do que um conjunto de ações que tornam a experiência do usuário satisfatória. É mais do que vender roupas bacanas pela internet a preços atraentes: é trabalhar para que os clientes e potenciais clientes de seu e-commerce tenham uma excelente experiência em seu site – e isso vai do planejamento estratégico, passa pelo layout e funcionalidades do site até chegar no produto em si e no pós-venda.

Em outras palavras, UX é como você se sente ao usar determinado produto, serviço ou ao interagir com uma marca.

Quer um exemplo? Ninguém gosta de entrar em um site e ele demorar vários segundos intermináveis para abrir.

Esse é um exemplo de má experiência do usuário e faz com que a empresa dona do site perca clientes e, consequentemente, dinheiro e posicionamento no mercado – sem falar que o próprio Google pune sites assim, rebaixando-os no ranking das buscas.

As 5 tendências de UX

Agora que você já sabe o que é experiência do usuário, vamos às principais tendências de UX para os próximos anos que você, como empreendedor e/ou designer, precisa ficar de olho:

1. Design que gera economia de tempo

Os sites estão se tornando cada vez mais intuitivos, fazendo com que o usuário economize tempo na busca de seus objetivos.

Dessa forma, layouts mais cleans (menos carregados) levam a pessoa a tomar apenas uma ação por vez. Nesse sentido, o uso de chatbots artificialmente inteligentes, ou seja, que já sabem o que o usuário procura e lhe entrega prontamente a informação fará com não somente ele economize tempo, mas os próprios funcionários da empresa – que podem, enfim, focarem em novas ideias de inovação.

ux do uber
Uber: UX simples e com foco no usuário

2. Métricas baseadas na experiência

As tradicionais métricas que utilizamos para medir o tráfego do nosso site – como o número de visitas, o tempo médio gasto no site, as páginas mais acessadas, o que os fazem desistir da compra, etc. – continuarão a existir, mas novas métricas estão surgindo com base na experiência do usuário.

Isso pode ser traduzido, por exemplo, na criação de produtos que possam fazer parte da vida real dos clientes, mas de forma que eles continuem interagindo com a marca no mundo virtual.

Um exemplo são os óculos lançados em 2016 pelo Snapchat; através de um acessório comum e elegante, os usuários podiam utilizar o aplicativo sem a necessidade de o smartphone estar em mãos. Dessa forma, eles compartilham experiências com amigos e se engajam ainda mais com a marca – que mede facilmente os resultados dessa interação.

óculos snapchat
Óculos do Snapchat

3. Personalização mais inteligente

A próxima geração de experiência do usuário nas redes sociais promete personalizar ainda mais as preferências.

Um exemplo disso é o próprio Facebook, que já estuda formas de tornar o feed de cada usuário cada vez mais adequado ao que ele espera ver, ler e ouvir. E isso serve de incentivo para que as fanpages das empresas já inovem também nesse sentido, principalmente em relação a adequação dos anúncios de acordo com o público-alvo.

bolha do facebook
A “bolha social” do Facebook tem suas vantagens

4. Equipe engajada e especializada em UX

Tornar a experiência do usuário atraente não será tarefa somente da equipe de designers; toda empresa se envolverá em suas devidas funções, mas com o mesmo objetivo. Nesse sentido, as áreas de novas tecnologias, realidade virtual, inteligência artificial e os segmentos de saúde e fitness ganharão força.

Quanto mais a gente se atualiza nas tendências de UX, mais preparados ficamos para colocar em prática a inovação em nossos empreendimentos. E às vezes, a experiência do usuário do seu nicho de mercado pode ser feita de forma bem simples e intuitiva.

Ficou com alguma dúvida sobre como implementar essas e outras tendências de UX em seu negócio? Fale com a Deen e receba um feedback sobre o seu site.

Nenhum comentário.

Deixe um comentário