Qual a diferença entre público-alvo e persona?

É bem provável que você ouça falar frequentemente sobre público-alvo e até já tenha o seu construído para direcionar os seus negócios. Mas existe outro termo que também vem sendo muito utilizado – o conceito de persona, que muitos acreditam se tratar da mesma coisa, o que acaba dificultando suas estratégias de marketing e os resultados.

Então, se você não sabe qual é a diferença entre esses dois conceitos e quando eles devem ser aplicados corretamente, vamos explicar tudo no post de hoje!  

Público-alvo: grupo de pessoas

É bastante comum as empresas determinarem seus públicos-alvo da seguinte maneira – vamos dar um exemplo de uma loja de roupas femininas:

“Mulheres, entre 20 e 50 anos, integrantes das classes econômicas A e B, moradoras de Porto Alegre, que compram roupas ao menos duas vezes por ano”.

Esse é o conceito de público-alvo. É uma lista que reúne as características de um grupo de pessoas, de um nicho, do segmento em que você atua. Ele serve, portanto, para identificar esse nicho e desenvolver produtos e serviços adequados a ele para aumentar as suas vendas.

O público-alvo é definido antes de você abrir o empreendimento. Afinal de contas, se você abrir uma loja de roupas de luxo, já precisa definir o público-alvo para direcionar as campanhas de marketing e propaganda para atingir essas mulheres que consomem moda de luxo. Antigamente, apenas definir o público-alvo da empresa já era o suficiente para que as campanhas dessem certo. Não havia tanta concorrência.

Mas os tempos mudaram e a concorrência aumentou consideravelmente, ainda mais por conta da migração / expansão dos empreendimentos para o ambiente digital. Dessa forma, é preciso “afunilar mais” esse público-alvo e descobrir exatamente quem é a persona do seu negócio.

Persona: “a” pessoa

Para entender o que é persona, vamos voltar à definição de público-alvo. No exemplo que demos acima, você viu que se trata de um grupo de pessoas que fazem parte de um mesmo nicho de mercado que você quer vender.

Mas dentro desse grupo, existem pessoas com diferentes perfis. Utilizando o exemplo, podem existir mulheres que gostam de comprar roupas de luxo pela internet, existem outras que preferem comprar pessoalmente, ou, ainda, preferem um serviço de vendas na condicional (um entregador leva as roupas a elas).

Em relação ao seu negócio, quais são as características mais comuns entre os seus clientes e potenciais clientes? A partir desse levantamento, você chega a uma representação fictícia do seu cliente ideal, ou, em outras palavras, à sua persona.

A persona é baseada em dados reais que reúnem comportamentos e características dos seus clientes, como dados demográficos, idade, profissão, história familiar, motivações, desafios, preocupações, sonhos, objetivos, etc.

Portanto, enquanto o público-alvo é definido assim: “Mulheres, entre 20 e 50 anos, integrantes das classes econômicas A e B, moradoras de Porto Alegre, que compram roupas ao menos duas vezes por ano”, a sua persona pode ser definida assim:

Joana, 35 anos, moradora de Porto Alegre, casada, mãe de dois filhos, executiva de uma empresa conhecida da região. Tem o dia bem corrido em meio a reuniões com outros executivos, almoços e viagens a negócio. Nos finais de semana, se esforça para passar um tempo maior com a família.

Joana gosta de estar sempre bem vestida, com roupas de tecidos duráveis e preparada para imprevistos profissionais; por isso, consome marcas de luxo que se adequam à sua realidade econômica e profissional. O seu maior objetivo é construir um bom patrimônio para sua família e formar os filhos na faculdade. Sua maior preocupação é a falta de tempo, pois ela se sente culpada por não estar tão presente na rotina familiar.

Joana é muito antenada sobre as notícias e tendências. Gosta de moda, consome informações nas redes sociais (Instagram e Facebook) e está sempre querendo se vestir de acordo com as últimas tendências, desde que se sinta confortável.

Agora responda: com qual dos dois perfis você conseguiria trabalhar melhor as suas estratégias de marketing? Com “mulheres entre 20 e 50 anos” ou com a Joana? Percebeu a diferença?

Todas essas informações – que você consegue levantar por meio de pesquisa – te ajudam a construir campanhas mais efetivas, pois você vai atinge em cheio as necessidades e desejos da sua persona, pois ela é a representação da maioria dos seus clientes.

Com a persona, você constrói um público mais fiel, pois consegue personalizar ao máximo as suas campanhas, ao ponto de tratar cada cliente pelo nome, criando conexão emocional e vendas mais duradouras.

Gostou de saber a diferença entre público-alvo e persona? Se quiser ajuda para construir a sua ou não sabe por onde começar, então clique aqui e fale com a Deen. Até a próxima.

Deixe um comentário