7 dicas para resolver problemas com taxa de rejeição alta

Você configura o Google Analytics em seu site e começa o rastreamento. Tudo vai bem até que você se depara com uma certa métrica e fica preocupado: a taxa de rejeição está alta. Mas o que exatamente isso quer dizer?

A taxa de rejeição, ou bounce rate, é um dos indicadores do comportamento dos usuários dentro de um site.

Ela mostra o percentual de visitantes que acessou e, em seguida, saiu do site sem acessar qualquer outra página e isso pode acontecer por vários motivos, sem necessariamente significar algo ruim.

Se a sua taxa de rejeição está muito alta, eis algumas dicas que podem te ajudar:

1. Conheça algumas práticas antes de analisar a taxa de rejeição do seu site

Antes de mais nada, você precisa realmente analisar se a taxa de rejeição está mesmo ruim. Para isso, três práticas podem ser levadas em consideração:

  • Experiência do Usuário (UX): nem todas as páginas que o usuário entra e sai em seguida pode significar que ele “rejeitou” seu site. Pode ser, por exemplo, que ele pesquisou sobre o telefone da sua empresa no Google e caiu direto na página de contato do seu site. Então, a pessoa conseguiu a informação que queria naquele momento e saiu do site. Apesar de essa pessoa ser contabilizada no percentual de taxa de rejeição, não significou algo ruim.
  • Tempo médio alto: se a taxa de rejeição está alta, mas o tempo médio de permanência do visitante nela também está, isso pode significar que ele está consumindo o conteúdo daquela página e pode gerar resultado.
  • Segmentação: quando você segmenta os dados por localização, parte da taxa de rejeição pode ser explicada por visitantes de outras regiões que entram no seu site e saem rapidamente, ou seja, pessoas que não são o seu público-alvo.

2. Verifique se o Google Analytics está configurando corretamente

A taxa de rejeição mostrada no Analytics pode estar alterada por conta da inserção errada do código de rastreamento no site.

Se existe o código em determinada página, mas ele não está replicado em outra página, isso pode contar como rejeição, pois o visitante, ao mudar de uma página com o código de rastreamento para outra página que não tem, é contabilizado nessa taxa.  

3. Melhore a escaneabilidade do seu conteúdo

Sabe quando você acessa o conteúdo de um site e ele dá “preguiça” de ler só de passar os olhos? Não tem parágrafo, não tem imagens, não tem subtítulos… Isso é falta de escaneabilidade e pode, inclusive, comprometer o bom ranqueamento do seu site no Google e, claro, aumentar a taxa de rejeição.

Algumas dicas:

  • use bullet points (marcadores);
  • use subtítulos;
  • evite parágrafos longos (lembre-se que a maioria lê pelo celular);
  • não force a barra na quantidade de palavras-chave;
  • use imagens, citações e gráficos quando apropriado.

4. Capriche na CTA

Atraiu os visitantes com um bom título? O texto está bem escrito e com boa escaneabilidade? Então não se esqueça da Call To Action (CTA), pois é ela que direciona o visitante para tomar uma decisão – como, por exemplo, entrar em outra página do site, diminuindo a taxa de rejeição.

Se você tem um e-comerce, por exemplo, pode incluir CTAs de produtos relacionados. Se o seu site oferece conteúdo, ofereça outros conteúdos de interesse dele ou, ainda, materiais para ele baixar gratuitamente. A ideia é sempre fazer com que ele permaneça o maior tempo possível em seu site e, claro, aumente a chance de conversão.

5. Crie várias landing pages

Landing pages são páginas criadas apenas com o objetivo de conversão (seja uma compra, baixar um material gratuito ou um cadastro).

Nesse sentido, várias landing pages melhoram a taxa de cliques no site, pois como uma das métricas do Analytics é a chamada página de saída – que demonstra por quais páginas as pessoas estão saindo do seu site –, ter landing pages diminui a probabilidade de os visitantes saírem do seu site pela página inicial (home), que geralmente representa uma alta taxa de rejeição.

Então, crie landing pages baseadas nas palavras-chave de alto valor que são pesquisadas pela sua persona.

6. Aumente a velocidade de carregamento da sua página

Se o seu site demora mais de 3 segundos para carregar, muito provavelmente a taxa de rejeição será alta – o que pode prejudicar o ranqueamento do seu site no Google.

Aliás, segundo dados do Aberdeen Group, empresa de tecnologia e serviços, cada 1 segundo a mais no carregamento gera uma queda de 16% na satisfação dos clientes e 11% nas visualizações de página.

Então, o que fazer?

  • Teste o tempo de carregamento na Page Speed Insights do Google.
  • Otimize todas as imagens do seu site com plugins do WordPress.
  • Ajuste o arquivo .htaccess, que, entre outras coisas, permite um melhor redirecionamento das URLs.

7. Dê atenção aos links externos

Um esquecimento simples mas que pode aumentar muito a taxa de rejeição de um site é não configurar os links externos para abrirem em outra janela/aba. Isso tira a atenção do usuário da página do seu site e pode ser que ele não retorne para ler o restante do conteúdo.

Nesse caso, se você utiliza o WordPress pode instalar o plugin WP External Links para que haja uma configuração automática dos seus links externos.

Existem outras dicas e ferramentas que podem te ajudar a resolver problemas com taxa de rejeição alta. Se você quiser conversar sobre elas ou não sabe como colocá-las em prática, clique aqui e fale com a Deen.

Nenhum comentário.

Deixe um comentário